skip to Main Content
Quero ENTRAR na plataforma Consignet   É Convênio? Acesse Aqui É funcionário? Acesse aqui
Ilustração Com O Laço Da Campanha Setembro Amarelo, Para O Artigo Com Dicas Sobre Como Abordar O Setembro Amarelo No Trabalho

Setembro amarelo no trabalho: dicas para abordar o tema

Já estamos em setembro, e a campanha do Setembro Amarelo passa a ser trabalhada em diversos ambientes. Para o RH abordar o Setembro Amarelo no trabalho, pode soar desafiador criar dinâmicas e aberturas em que os colaboradores se sintam confortáveis para falar e pedir ajuda.

Por isso, criamos esse artigo com dicas para o RH trabalhar o Setembro Amarelo da forma mais acolhedora possível no ambiente de trabalho. Você conhecerá as origens dessa campanha e dicas práticas para falar sobre ela. Boa leitura!

O que é Setembro Amarelo?

Setembro Amarelo é uma campanha criada pelo Centro de Valorização da Vida (CVV),  que acontece desde 2015. O objetivo é prevenir o suicídio por meio da conscientização e discussão do tema, e o slogan da campanha é: “Falar é a melhor solução”.

O 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio e o mês foi escolhido para representar a causa, incentivando a discussão e a divulgação dos sintomas e medidas preventivas. Da mesma forma, a cor amarela foi escolhida por representar o sentido de atenção perante a causa.

A campanha Setembro Amarelo existe porque muitos tabus envolvem o suicídio, justamente por ser um assunto pouco discutido na sociedade, o que cria margem para invenções e interpretações erradas das causas e sintomas.

Não há como alguém buscar ajuda, ou ajudar, se não se sabe o que determinada pessoa passa em um momento de predisposição ao suicídio. Por isso a campanha vem para ajudar a identificar os sinais, conhecer a melhor abordagem e conscientizar a todos que muitas pessoas podem estar passando pela mesma coisa e podem procurar ajuda.

Dicas para abordar o setembro amarelo no trabalho

Como o suicídio está diretamente relacionado ao estado psicológico e à saúde da mente, a campanha no mês de setembro deve ser pautada em atividades, momentos e eventos que, além de conscientizar, contribuam para minimizar o estresse, a ansiedade e proporcionar bem-estar para os colaboradores. Veja algumas dicas:

Quebre o tabu: fale sobre o assunto

Suicídio ainda é um tabu, mas é preciso abordar e desmistificá-lo. Para dar força à campanha, o RH pode ir além dos cartazes e comunicados. Que tal chamar um especialista da área de saúde mental para palestrar? Ou distribuir materiais informativos sobre prevenção ao suicídio? Dê preferência a profissionais que trabalhem o assunto de forma natural, para que os colaboradores se sintam à vontade para compartilhar dúvidas.

Vale lembrar que no site Setembro Amarelo, há diversos informes e peças que podem ser baixados gratuitamente. E não esqueça de espalhar aos quatro cantos o número do CVV, 188, para o qual as pessoas podem ligar e serem auxiliadas em total sigilo.

Promova o mindfulness

O mindfulness é uma prática de meditação para desenvolvimento da atenção plena. As sessões auxiliam no controle do estresse e promovem a consciência corporal, aliando corpo e mente para mantê-los em equilíbrio. Você pode formar grupos de mindfulness, convidar profissionais para conversar sobre essa prática e coordenar esses grupos, além de incentivar a meditação fora do ambiente corporativo para que se torne um hábito.

Crie atividades em conjunto

Considere criar dinâmicas para atender aos mais diferentes perfis. A empresa deve oferecer algumas opções para os funcionários. Seja alguma dança, um momento de recreação ou até mesmo uma gincana, o importante é oferecer ações de integração.

A empresa também pode criar um espaço de bem-estar, formar grupos para prática da ginástica laboral, corrida, caminhada, entre muitos outros. O Setembro Amarelo é uma oportunidade para dar o primeiro passo para garantir bem-estar aos seus trabalhadores, mas é fundamental que as ações não parem por aí e se desdobrem durante todo o ano. Saúde mental deve ser uma prioridade no ambiente de trabalho.

Pequenas ações também são bem-vindas. Estimule o diálogo e o acesso às informações. Permita que os funcionários saibam a importância de cuidar da saúde mental, conscientizem para que se cuidem e promova mudanças positivas no ambiente de trabalho para elevar a qualidade de vida ali.

Seja um ponto de apoio

O estresse imposto pelo home office foi somado ao isolamento social e à possibilidade de contágio de um vírus com potencial letal. Carissa Etienne, diretora da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) afirma que a “pandemia de Covid-19 causou uma crise de saúde mental em uma escala que nunca vimos antes”.

Aproveite, então, o momento e o Setembro Amarelo para reforçar que o RH é um local seguro para funcionários que passam por dificuldades. Deixe as portas e os canais de comunicação abertos para colaboradores expressarem suas emoções e saiba quando indicar ajuda profissional.

Crie uma cultura humanizada

Se sua empresa ainda não possui uma cultura organizacional focada em colaboração, o Setembro Amarelo pode ser o ponto de virada. Incentive a diversidade, as tarefas cooperativas e o apoio emocional entre colaboradores e equipes.

Contar com um código de conduta flexível e amigável, realizar palestras eventuais sobre saúde mental e oferecer atividades e espaços relaxantes, como hora da massagem e salão de jogos, são medidas bem-vindas.

Treine seus líderes para os sinais

Estatísticas norte-americanas indicam que funcionários que mencionam ou ameaçam tirar a própria vida têm 30 vezes mais chance de cometerem o ato e que 40% dos suicidas já haviam tentado antes.

A Setembro Amarelo pode ser uma ótima oportunidade para oferecer treinamento aos gestores da companhia sobre como lidar com desordens mentais e potenciais suicídios. Convoque profissionais da área da saúde para alertá-los sobre sinais de perigo, como isolamento, faltas e mudança brusca de personalidade.

Esses sinais são gritos de socorro e devem ser levados a sério pelos líderes e pelo RH. Seja empático, ouça o colaborador e busque ajuda profissional para ele, se for necessário.

Caso um funcionário da empresa cometa suicídio, o RH deve oferecer suporte para colegas de trabalho processarem o trauma da perda. Realize uma reunião para responder questões sobre a situação e convide um especialista para orientar os colaboradores a lidarem com o emocional perante esse período difícil.

Clique e baixe o calendário para RH 2021 gratuitamente!Conclusão

O tema suicídio é um tabu: temos medo de abordá-lo e criar gatilhos. Porém, só a conscientização e a conversa franca são capazes de abrir as portas para que as pessoas peçam ajuda, ou até mesmo reconheçam que precisam dessa ajuda!

Por isso, para o profissional de RH, é essencial ter a coragem de abordar o setembro amarelo no trabalho, e usar suas técnicas como profissionais de psicologia e/ou recursos humanos para acolher estes colaboradores.

Esperamos que as dicas deixadas aqui te ajudem a promover um ambiente de trabalho com mais saúde mental! Continue acompanhando o blog do Consignet para mais dicas para RH.

Comente abaixo: qual sua prática favorita para tratar de temas tabus no trabalho?

 

Este artigo tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top