skip to Main Content
Quero ENTRAR na plataforma Consignet   É Convênio? Acesse Aqui É funcionário? Acesse aqui
Notebook E Monitor, Um Ao Lado Do Outro, Mostrando A Hora.

Horário flexível no trabalho: como oferecer aos colaboradores?

Na tarefa de reter talentos e oferecer uma boa experiência para os colaboradores, as empresas estão atualizando seus processos. Nesse sentido, para agradar pessoas que são mais produtivas em períodos não comerciais, muitos negócios estão instaurando o horário flexível no trabalho. 

Dessa forma, instaura-se diferentes tipos de jornada de produção, o que permite que os funcionários realizem suas funções em momentos que são mais produtivos. Além disso, eles podem sair durante o dia para atender compromissos pessoais sem gerar dores de cabeça para a empresa e para eles mesmos. 

Quer saber o que significa horário flexível, como implementá-lo e quais os benefícios deste modelo? Então continue a leitura e confira! 

Clique e baixe as planilhas de gestão para RH e DP gratuitamente!O que é horário flexível? 

horário de trabalho flexível nada mais é uma organização de empresa na qual os colaboradores podem escolher em quais períodos irão produzir. Dessa forma, não é obrigatório que os funcionários cumpram uma jornada das 8h às 18h, como geralmente acontece, pois eles optam quando bater o ponto e iniciar as atividades que precisam ser cumpridas. 

Atualmente, as leis trabalhistas não estabelecem clausulas específicas sobre o trabalho com horário flexível. Dessa forma, ele pode ser instaurado, desde que alguns cuidados sejam tomados para assegurar que, mesmo escolhendo quando iniciar a jornada, o colaborador tenha respaldo jurídico. 

Calendário aberto em cima de uma mesa de madeira.
Ao todos, o colaborador não pode exceder o limite de 44 horas semanais.

Ao adotar o modelo, as horas trabalhadas não devem exceder a jornada de 44 horas semanais, as quais geralmente são dividas em oito horas diárias, com exceção de sábados. 

Portanto, contar com um sistema de controle para registrar o horário de trabalho dos colaboradores continua sendo necessário. Nesse caso, a opção é utilizar um software para este processo, a fim de que as pessoas não precisem ir até sua empresa bater o ponto. 

Ainda de acordo com a lei, o tempo trabalhado além do limite semanal deve ser pago como extra. Outra opção é firmar o acordo do banco de horas, que permite que os colaboradores tirem o período de descanso posteriormente. 

Neste modelo de trabalho, caso o funcionário trabalhe duas horas a mais em um dia, ele ganha direito a entrar (ou sair) mais cedo em outro momento. O banco dura por seis meses e deve ser descontado neste período. 

Além disso, o limite de horas extras por dia é de duras horas, para que o colaborador consiga descansar adequadamente e ter uma vida saudável fora do ambiente de trabalho. É importante garantir, também, que o funcionário cumprirá pelo menos uma hora de intervalo – geralmente retirada no almoço – todos os dias. 

Dessa forma, não é preciso ter um horário fixo para os colaboradores, afinal, as pessoas variam em sua produção e em suas preferências. No entanto, ainda assim, é preciso entender a consolidação das leis atuais, para que o modelo de trabalho flexível seja instaurado de forma correta na empresa. 

Como implementar o horário flexível de trabalho? 

Fora o entendimento das leis, existem algumas dicas que podem facilitar a implementação do horário flexível. Confira-as!

1. Estabeleça regras

Cumprir as horas de trabalho é obrigação do colaborador, porém a maneira como isso acontecerá deve ser definida pela empresa e comunicada para cada um dos funcionários. Dessa forma, você evita problemas e desalinhamentos. 

Pessoas reunidas para ouvirem as regras para realização de horário flexível no trabalho.
Estabelecer regras para a implementação do horário flexível na empresa é fundamental para evitar problemas.

É possível, por exemplo, implementar uma jornada de trabalho flexível ou uma semi flexível. Na primeira, cada membro do time decide quando irá trabalhar. Na segunda, eles podem escolher, mas a empresa geralmente estabelece um limite. 

Na última situação, você pode acordar com os colaboradores que eles podem produzir em três horários diferentes: das 8h às 18h – o mais clássico –, das 9h às 19h e até das 10h às 20h. Assim, quem prefere acordar mais tarde consegue fazer isso, ao mesmo tempo em que pessoas matinais também se sentirão contempladas. 

Os detalhes presentes nas leis trabalhistas também devem ser passados aos colaboradores como regras. Para isso, você pode chamar um profissional da área, a fim de que a explicação aconteça da melhor forma.  

Clique na imagem abaixo para acessar o site do Consignet.Além disso, o advogado certamente saberá responder às dúvidas que a equipe terá, enquanto você pode não conhecer detalhes tão profundamente. 

As regras por trás do horário flexível devem ser explicadas para equipe e disponibilizadas, ainda, em formato de documento, para que seja oficial. Em onboardings de novos colaboradores, as normas também devem ser apresentadas.

2. Acompanhe o ponto

Para que o horário flexível funcione como deve, o ponto deve ser registrado e acompanhado. Confiar nos colaboradores é importante neste processo, porém, principalmente nos primeiros meses, é válido verificar se todos estão trabalhando nos horários combinados – ou em expediente completo. 

Como comentado, atualmente, o ponto pode ser batido de qualquer lugar do Brasil por meio de aplicativos e de softwares de gestão de pessoas. Pesquisar opções e alinhar qual será usada em sua empresa é importante para que todos façam o registro.

3. Implemente o banco de horas

Eventualmente, com os horários flexíveis disponíveis, as pessoas podem passar um pouco de tempo durante a produção. Afinal, ao trabalharem em um período que se sentem bem, elas podem aproveitar a energia. 

Homens trabalhando lado a lado, em notebooks.
Implementar o banco de horas é uma boa ideia para que os horários flexíveis sejam bem controlados.

Nesses casos, o banco de horas é uma ótima possibilidade para evitar pagamentos de encargos extras. Apenas fique atento às condições legais, que decretam que um colaborador não deve trabalhar mais do que duas horas diárias e que afirmam que a compensação deve ser feita em até seis meses. 

Além disso, cuide para que os funcionários não acumulem muitas horas de banco. Isso não é saudável para eles e nem para a empresa, porque eles poderão tirar vários dias de folga no futuro. Se for o caso, defina uma regra de banco de horas limite. 

4. Fique atento aos atrasos

Com a flexibilização do horário, é comum que os colaboradores comecem a testar outros períodos para realizar as atividades. Por isso, orientar os gestores para que eles acompanhem as entregas é fundamental. 

Muitas vezes, as pessoas acreditam que estão sendo mais produtivas em determinado período, quando isto pode não ser realidade. Cabe às lideranças e ao RH, portanto, analisar a jornada de trabalho dos funcionários e orientá-los caso seja preciso adaptações. 

Atrasos recorrentes e entregas fora do prazo devem ser evitadas, independentemente do horário que o colaborador decide trabalhar. Alinhar essa questão com ele é fundamental para que a flexibilização seja saudável para empresa e para o funcionário. 

5. Observe a produtividade

Ficar atento à dinâmica de trabalho da equipe e acompanhe como a produtividade está de acordo com o período no qual cada colaborador trabalha. De acordo com as entregas, insights importantes sobre a equipe podem ser tirados. 

Homem sentado à mesa de trabalho, mexendo em um tablet.
Ficar atento ao nível de produtividade da equipe é fundamental para que problemas não aconteçam.

Dessa forma, você evita problemas – como os já citados atrasos – e trabalha para otimizar ainda mais o fluxo de trabalho do time.

6. Zele pela comunicação

Com pessoas trabalhando em diferentes horários, ter uma boa comunicação interna é fundamental para que a equipe não tenha problemas e cometa erros que poderiam ser evitados com os devidos alinhamentos. 

Implementar canais de comunicação empresarias na rotina – como o Slack e o Teams – e contratar softwares focados em gestão da informação são maneiras de zelar pelo alinhamento entre todos os colaboradores. 

Conversar com a equipe para que todos os dados importantes sejam documentados e compartilhados com quem precisa deles é outra atenção fundamental. Assim, quem trabalha à noite acessará o que quem produz durante o dia fez com facilidade.

7. Esteja alinhado com as questões legais

As leis trabalhistas são completamente aplicáveis para quem cumpre horários flexíveis no trabalho e é preciso que sua empresa esteja alinhada às melhores práticas jurídicas para evitar problemas. 

Equipe em reunião para discutir as questões legais do horário flexível no trabalho.
Explique para a empresa as questões jurídicas por trás dos horários flexíveis.

Contar com ajuda de um profissional qualificado é uma boa ideia. É possível, ainda, levá-lo para explicar as regras para sua equipe, de forma que ele tire dúvidas e explique os conceitos de forma simplificada. 

Vantagens do horário de trabalho flexível 

Os benefícios de instaurar uma jornada de trabalho flexível são visíveis para a empresa e para o colaborador. Confira: 

Possibilidade de conciliar trabalho e vida pessoal 

Hoje em dia, é difícil conciliar vida pessoal com profissional às vezes. Certas atividades, como ir ao banco e fazer compras, dependem de um período específico do dia para serem realizadas. Na maioria das vezes, é o mesmo horário em que as pessoas estão trabalhando. 

Logo, instaurar o horário flexível permite que os colaboradores consigam resolver suas pendências sem que se ausentem do expediente. Isso é interessante para a empresa e para o próprio funcionário. 

Redução de custos 

A flexibilização do horário permite que o colaborador reduza determinados custos, como o de alimentação ou de transporte, visto que ele pode ir para a empresa fora do pico de trânsito.  

Se pensarmos que, muitas vezes, o horário flexível caminha junto do home office, esta economia aumenta. A empresa não terá tantas pessoas na sede, o que diminui gastos. Já o funcionário pode trabalhar de casa, reduzindo despesas em vários sentidos. 

Aumento da produtividade 

Com o colaborador podendo escolher qual período do dia se sente mais ativo para trabalhar, a produtividade tende a aumentar. Afinal, ele realizará as atividades contente e descansado. 

Retenção de talentos 

O horário flexível é, ainda, um benefício para os colaboradores, o que influencia na retenção e na atração de talentos. Com a possibilidade de escolher quando trabalhar, as pessoas valorizarão sua empresa, já que ela entende as diferentes personalidades. 

Agora que você já sabe o que é horário flexível no trabalho, como implementá-lo e qual as suas vantagens, é o momento de começar a colocar esta tendência em prática na sua empresa.  

Para além dos horários flexíveis, existem outras práticas que um RH do futuro deve ter em mente para inovar dentro da empresa. O Consignet separou cada uma delas em um e-book gratuito. Clique na imagem abaixo e faça o download! 

Clique para baixar o ebook com tendências para RHs inovadores.

Este artigo tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top